quinta-feira, 4 de julho de 2013

Aquilo que você não sabe sobre Einstein







Albert Einstein foi sem dúvida um dos maiores físicos da história da humanidade. Venceu o prémio Nobel da Física em 1921 devido à descoberta do efeito fotoelétrico, desenvolveu a teoria da relatividade geral e restrita e foi responsável pela formulação matemática do movimento browniano, entre outros. É conhecido não só pelos seus trabalhos e descobertas mas também pelo seu caráter e frases emblemáticas, que o ajudaram a tornar-se um cientista mundialmente conhecido. Aposto que o leitor o conhece mas... até que ponto?  Em seguida,  vou apresentar uma série de curiosidades sobre Einstein que o vai ajudar a perceber o quanto sabe sobre este físico...





1 - Bebé Cabeçudo


Einstein nasceu com uma cabeça maior que o normal e começou a falar bastante tarde, o que levou os médicos a pensar que fosse atrasado mental.






2 - A Bússola de Albert


Aos cinco anos de idade, recebeu uma bússola que despertou o seu interesse para a ciência. O pequeno físico ficou bastante intrigado ao ver que a agulha apontava sempre para o mesmo lugar, o que influenciou o destino do futuro génio.








3 - Problemas na escola

Einstein era conhecido entre os professores pelo seu temperamento. Caso o assunto que estivesse a ser discutido na sala de aula não o interessasse, ele simplesmente desligava. Apesar de ter tido excelentes notas a matemática e a física no secundário, não era grande aluno às outras disciplinas. Além disso, Einstein reprovou no exame de acesso à faculdade.










Einstein e a sua mulher, Elsa
4 - Amores do génio

Os seus dois casamentos não forem bem sucedidos. Teve uma filha ilegítima e algumas amantes.











Hitler considered Albert Einstein to be public enemy number one.5 - Inimigo de Hitler



Hitler considerou Einstein inimigo público número um. O físico odiava a escola alemã e fugiu para a Suíça quando era adolescente. Retornou a Berlim depois da fama para dar aulas. Com o aumento do antissemitismo no país e a perseguição pelos nazis Einstein fugiu para os Estados Unidos em 1933 e não voltou a morar na Europa.
Quando se mudou para os Estados Unidos,  um jornal de Berlim chegou a publicar a manchete: "Boas novas de Einstein - ele não vai voltar". Para complementar, cientistas da época publicaram um livro intitulado "100 autores contra Einstein", tudo motivado pelo antissemitismo.









6 - Vedeta

Foi nomeado "Person of the Century" pela revista TIME.















7 - Gedankenexperimente

Einstein pensava e debruçava-se sobre os problemas que tentava resolver criando imagens com as quais realizava Gedankenesxperimente. Exemplos são uma pessoa que viaja sobre um fotão, no caso da relatividade restrita, ou uma pessoa em queda dentro de um elevador, no caso da relatividade geral. As questões que se podem colocar a propósito destas duas Gedankenexperiment são algo perturbadoras: Poderá uma pessoa que viaje à velocidade da luz ver-se ao espelho? E uma pessoa a cair sentirá o seu próprio peso?




8 - Fã da varinas

Quando efetuou uma escala em Lisboa Lisboa, em 11 de Março de 1925, e tendo visitado alguns monumentos nacionais como o Castelo de São Jorge e o Mosteiro dos Jerónimos, o que mais impressionou Einstein na sua curta estadia em solo português foram... as varinas! Nas palavras telegráficas do grande cientista:
- “Vendedora de peixe fotografada com um cesto de peixe na cabeça, gesto orgulhoso, maroto”.

Falando mais tarde no Rio de Janeiro (onde estava o almirante Gago Coutinho para o escutar), num jantar no Copacabana Palace Hotel, afirmou o autor da relatividade:

- “São mulheres de uma elegância que me fez parar muitas vezes para admirá-las. No grupo em que estava, fotografámo-las e pusemos na nossa mesa de refeição, a bordo, os retratos”.

Einstein fotografando uma varina - Desenho de José Bandeira, em Nova Física Divertida ( Carlos Fiolhais)


9 - Presidente? Não, obrigado!
Ben Gurion encontra Einstein, 1951

O então primeiro-ministro de Israel, Ben-Gurion, ofereceu o cargo de presidente a Einstein em 1952 mas este recusou.  O motivo talvez esteja por detrás de uma das célebres frases do cientista alemão: "As equações são mais importantes para mim (do que a política) porque a política é para o presente, mas uma equação é algo para a eternidade".







10 - Cérebro a ser estudado

Após a sua morte, o cérebro de Einstein foi removido durante a autópsia pelo Dr. Thomas Harvey. O órgão do génio pesava menos do que a média para os homens e também era 4 centímetros menor do que o padrão!

Dr. Thomas Harvey


Morreu Douglas Engelbart

O Cientista Português homenageia o engenheiro Douglas Engelbart, visionário e inventor do "rato", falecido ontem ( 3 de Julho de 2013) na sua casa de Atherton.

O engenheiro Douglas Engelbart e o seu trabalho mais conhecido, o primeiro "rato" de computador.


sexta-feira, 21 de junho de 2013

Chegaremos a Marte?

A conquista de Marte será  a grande aventura humana do séc.XXI. Já se fazem os primeiros planos para esta viagem, mas estará o homem preparado para tal?








A ideia de um voo tripulado a Marte tem ganhado muitos adeptos  nos últimos anos, de tal forma que a organização não-governamental holandesa Mars One quer colocar seres humanos em Marte em 2023, tendo lançado em 22 de Abril deste ano um programa de recrutamento de voluntários. O projeto é apadrinhado pelo prémio Nobel da Física de 1999 Bas Landsdorp e tem um orçamento de 4,6 mil milhões de euros Há candidatos provenientes de mais de cem países (segundo  Bas Landsdorp), contudo ainda não há nenhum português inscrito. Veja o vídeo de apresentação do projeto:




Os candidatos a astronautas terão que ter mais de 18 anos, com capacidade de criar e manter relacionamentos, que sejam capazes de auto-análise e confiança, que sejam curiosos, criativos, flexíveis e desembaraçados, que tenham noções básicas de inglês e que tenham a plena noção de que esta poderá ser uma viagem sem regresso à Terra.
As candidaturas estão abertas até 31 de Agosto. No total, a organização procura 24 astronautas, que serão enviados para Marte em grupos de quatro (dois homens e duas mulheres, para que possam reproduzir-se), para estadias de sete meses. O primeiro grupo parte para Marte em Setembro de 2022. De dois em dois anos será enviado um novo grupo, que no Planeta vermelho viverá em casas de 50 metros quadrados e cultivará os seus próprios alimentos.
Os astronautas selecionados serão treinados entre 2016 e 2021 em compartimentos que simularão as condições físicas e atmosféricas marcianas. Os finalistas serão escolhidos pela Mars One e através de um programa televisivo, havendo a possibilidade da estadia em Marte ser filmada.

Quais são os riscos de uma viajem a Marte?

O programa Mars One tem sido visto com reservas e algum ceticismo por parte de diversas agências espaciais ( INTA e ESA, por exemplo). De facto, vários riscos se colocam àqueles que tiverem a ousadia de "embarcarem" numa viagem para Marte. Apresentam-se, em seguida, três dos principais.

Radiação
Moléculas de DNA sendo atravessadas por partículas pesadas
Segundo um estudo da New Scientist, este é o maior perigo para a viajem a Marte. Os raios cósmicos  consistem em protões e núcleos atómicos pesados que se deslocam a altas velocidades e que podem destruir moléculas de DNA, elevando significativamente o risco do aparecimento de cancro.





Microgravidade

Os intrépidos viajantes de uma missão a Marte estariam, em princípio, sujeitos a gravidade zero. Apesar de parecer divertido poder flutuar até à casa-de-banho, o corpo humano nesta condições está sujeito a diversos problemas:
  • Perda de massa óssea (cerca de 1% por mês);
  • Desmaios após entrar num campo gravitacional;
  • Problemas cognitivos, incluindo sintomas de Alzheimer;
  • A fraqueza e falta de aptidão cardiovascular;
  • Atrofia muscular








Problemas psicológicos

Astronauta Donald K. e o cosmonauta Aleksey Leonov .
Colocar seis ou sete peossoas num espaço confinado por 18 meses, enviá-las para um lugar onde ninguém esteve antes, com nenhuma maneira de escapar, é susceptível de produzir stresse, tensão e, talvez, problemas psiquiátricos graves, de acordo com o estudo NASA's 2009 Human Research Program report.



Micrometeórides

O impacto de micrometeoroides e de outros corpos celestes (cometas, asteroides...) são ainda um potencial risco. As naves espaciais e satélites colidem frequentemente com micrometeórides, pelo que são um problema a ter em conta.







Bibliografia:
http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=3182014&page=3, consultado em 21/06/13
http://mars-one.com/en/about-mars-one/about-mars-one,  consultado em 21/06/13
http://news.discovery.com/space/history-of-space/mission-to-mars-health-risks-110718.htm, consultado em 21/06/13






Hello again!

Olá, caro leitor. Já não escrevia há algum tempo, cerca de 4-5 meses. Nestes últimos meses o meu tempo foi absorvido pela escola mas agora, que estou de férias, posso finalmente voltar a dedicar-me ao projeto que iniciei no ano passado ( "O Cientista Português"). Fique atento às próximas publicações ;)

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Naso brevirostris - O peixe que parece humano


Naso brevirostris

O peixe Naso brevirostris, também conhecido como peixe-unicórnio, deve o seu nome ao prolongamento semelhante a um corno, que surge no rostro dos adultos. Os biólogos suspeitam que este prolongamento seja usado para este animal se defender quando se sente ameaçado, embora faça o peixe parecer humano, visto de perfil.


Este animal também possui outra interessante particularidade: muda de cor conforme o seu "humor" ( ex: fica cinzento-escuro quando stressado).




O Naso brevirostris pode ser encontrado nos oceanos Pacífico e Índico, em lagoas e recifes, até 45 m. Aqui, os juvenis alimentam-se de algas junto ao fundo, enquanto os adultos só se alimentam de zooplâncton.






quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Sidney Harris - ciência e humor sempre juntos!

Recentemente, enquanto navegava pela web, deparei-me com o site SCIENCE CARTOON PLUS, uma página web com centenas de cartoons dedicados à ciência, desde física, química, matemática e outras áreas de conhecimento como a educação. O autor, Sidney Harris, antigo jornalista do Chicago Daily News,  "is successful about 99% of the time" como diz o laureado com o prémio Nobel Linus Pauling. Muitos dos desenhos deste cartoonista tem aparecido em jornais e revistas conceituadas, como a notável American Scientist. Deixo, em seguida, alguns dos trabalhos que mais gostei, relaciondados diversas áreas científicas. Se gostar e pretender descobrir mais sobre a obra deste autor visite o site http://www.sciencecartoonsplus.com/index.php



Astronomia






















Física

 













Matemática










Biologia





quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Encélado e os seus vulcões gelados

Encélado, a lua gelada de Saturno, tem vulcões, mas não aqueles que se esperaria...
 
 
 






 
São conhecidos como criovulcões e, apesar de os cientistas não terem a certeza absoluta da existência de vulcões que jorrem gelo a partir de uma caldeira gelada em Encélado, existem fortes indícios. O voo de Cassini, há dois anos, relevou jatos a serem expelidos de quatro fendas, ao longo da superfície da lua, apelidadas de Alexandria, Cairo, Bagdad e Damasco. As erupções eram tão altas que podiam ver-se facilmente, em perfil, do espaço.
Os vulcões na Terra e também de Io expelem lava com silicatos aquecida pela pressão sob a crosta. Os criovulcões funcionam de maneira semelhante: os cientistas crêem que a atividade geológica subterrânea em Encélado aqueça a superfície gelada criando um lodo em água, gelo e compostos orgânicos, ejetados por lençóis de água que se comprimem.
Encélado tem uma órbita eliptíca semelhante à da nossa lua, logo, quando a gravidade de Saturno atrai Encélado, é criada uma protuberância que gera a fricção e calor necessários para causar este fenómeno tão espetacular.
 
 
As erupções de Encélado são causadas pelo efeito da gravidade de Saturno.
 
Quando os lençóis de gelo chocam, qualquer lodo que fique entre eles é ejetado sob enorme pressão.
 


 
Bibliografia: Adaptado de Quero Saber nº23

The Skeptic in the Room

Tive acesso a este vídeo através de Nuno Fragoso Gomes. Gostei bastante e por isso decidi partilhá-lo no Cientista Português. A reflexão fica ao cargo do leitor. Música de Eddie Scott.